Novo vídeo com comparações de gaitas

terça-feira, 28 de junho de 2011

Mesmo com a aceitação errada de algumas pessoas com seu primeiro vídeo, o Marcos Castelani decidiu continuar com o canal de vídeos dele, iniciativa da qual eu apoio e acho extremamente necessária. Vale lembrar que assim como meu blog, o vídeo mostra a opinião dele com os modelos de gaita e com a experiência que ele obteve tocando gaita durante alguns anos, ou seja é bastante pessoal, não é pra levar bem ao pé da letra e sim se para se basear e orientar melhor. E pra quem ainda procura mais opiniões e informações sobre os modelos de gaita encontradas no mercado, fica aqui mais uma contribuição dele:

Comparações entre gaitas e a falsa sensação de democracia

segunda-feira, 20 de junho de 2011


Ontem meu amigo harmonicista Marcos Castelani resolveu fazer um vídeo comparativo entre alguns modelos de gaita que ele dispõe e utiliza. Achei uma iniciativa genial, uma vez em que ele está dando continuidade de maneira muito mais dinâmica no que eu tenho tentado fazer com meus reviews desse blog. É uma forma bem prática e que orienta bem melhor as pessoas que estiverem com dúvida sobre qual a primeira ou próxima gaita a adquirir. Claro que todos esses reviews e comparações são feitas de maneira pessoal, sempre baseadas em nossas experiências com os instrumentos e com isso, pode ser que a experiência de outro gaitista seja diferente da nossa, mas é essencial que nossa opinião seja aceita. Assim como eu e o Marcos nos preocupamos em mostrar nossa opinião, é necessário que ela também seja discutida e fomentada a partir daí, pois como eu sempre digo é difícil encontrar esse tipo de material na internet e muito dinheiro e tempo de iniciantes é jogado fora. Sem contar também lojistas desinformados, professores com descaso, etc. Além do mais nosso espaço como gaitistas em redes sociais e fóruns vem só crescendo e se não existir essa "liberdade de expressão" o instrumento continuará permanentemente em segundo plano.

Há quem diga que é necessário ser perito em determinados assuntos para que eles possam ser discutidos em público. Eu prefiro acreditar que é necessário se expressar e usufruir de cada oportunidade de expor suas opiniões e dúvidas para que você encontre novos pontos de vista e perspectivas que antes você acreditava conhecer, mas que percebe estar errado e com isso se especializar e aí sim poder se considerar interado do assunto. E é isso que acontece comigo desde que comecei a postar nesse blog e nem por isso eu privo as pessoas de me criticarem e nem tento reduzir o espaço delas. Alias o que seria desse blog e de tudo que eu aprendi sobre gaitas se não existisse essa sensação de democracia?

Novo fórum e o descaso da gaita no Brasil

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Há quase uma década o Portal Gaitanet nos mantém informados e disponibiliza o melhor fórum brasileiro sobre gaitas encontrado na rede. Visando agora uma melhor navegação e experiência do usuário o famigerado fórum agora está hospedado no novo endereço: http://forum.gaitista.com/. Com uma interface mais limpa, leve e dinâmica o fórum já ostenta mais de 500 mensagens e a promessa é que coisas boas só venham a surgir e que o espaço democrático seja mantido com a finalidade de manter iniciantes, amadores e profissionais sempre interagidos e com suas dúvidas e dificuldades sempre respondidas.

Indo na contramão do progresso do Gaitanet o espaço do harmonicista no Brasil só vem perdendo espaço após o encerramento de atividades da Bends. Nunca pensei que os workshops mensais e o eficiente acompanhamento de feeds por e-mail da Bends fossem fazer tanta falta! Sem falar dos rumores sobre o lançamento de dois modelos novos da Hering que agora se tornou lenda e a cada dia que passa o site da mesma se encontra mais abandonado e jogado as moscas (situação que já rola há vários meses...). O descaso da fábrica que só se dispôs a trabalhar e progredir após a ameaça de mercado gerada pela Bends novamente se iniciou e para piorar novamente ocorreu um boom inexplicável nos preços das gaitas que novamente monopolizarão o mercado já que a escassez dos modelos da Bends começa a deslanchar nas lojas de instrumentos por todo o país. Fica agora uma incógnita: pagar caro pelas importadas Suzukis e Hohners e garantir tecnologia, durabilidade e novidades ou também pagar caro pelas Herings nacionais e continuar com modelos estagnados e pouco duradouros?

Segurador de Gaita Diatônica S-250 Hering

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Meu interesse por gaita começou no meio do ano de 2008, quando eu escutei a música Never Looking Back do cantor folk Matt Costa, onde ele usa uma gaita afinada em Lá em um suporte de gaita, fazendo um solo em uma parte da música. Acredito que assim como aconteceu comigo, boa parte dos gaitistas tiveram um primeiro contato ou interesse por gaita através de músicos que usam o tal suporte segurador em canções folk, ou não. Como exemplo temos os clássicos Bob Dylan e Neil Young e no Brasil há uns anos atrás o músico Humberto Gessinger, do Engenheiros do Hawaii deu uma baita popularidade na modalidade após lançar dois discos acústicos, onde ele revisitou diversas canções da banda de uma maneira folk utilizando também do suporte (o que particularmente não me agrada muito...).
Muita água rola sobre esse assunto e muitos gaitistas não gostam do suporte, pelo fato da maioria das pessoas tocarem gaita apenas em primeira posição, o que supostamente limitaria a gaita apenas como instrumento de acompanhamento. De todo modo eu vejo um aspecto positivo nisso tudo, pois enquanto a gaita puder ser usada como "acompanhamento" ela ainda poderá continuar revigorando a força do instrumento, que cá entre nós sofre preconceitos ainda maiores. E pra quem dúvida que a gaita pode ser tocada em segunda posição, sugiro que procurem ouvir o trabalho do excelente gaitista Vasco Faé.
Adquiri meu primeiro suporte segurador de gaita em 2009 e de lá pra cá acabei não utilizando muito ele, até porque realmente rola uma limitação no uso da gaita e meu interesse por blues foi sempre maior, mas isso vai variar do que você realmente procura adquirindo um suporte. Eu por exemplo não tive muito interesse e acabou que nunca chequei a tocar a tal canção do Matt Costa que eu tanto gostava! O meu Segurador de Gaita Diatônica S-250 Hering foi comprado na Harmonica Master por 36 reais e de lá pra cá o preço sofreu poucas mudanças, oscilando agora na casa dos 40 reais. Na época eu tinha encontrado um suporte da Hohner na minha cidade por absurdos 85 reais... Pra quem já toca algum instrumento de cordas ou mesmo bateria e percussão, o suporte garante diversão imediata, mas isso também vai depender muito da sua coordenação motora. Eu por exemplo não tenho muita destreza quando o assunto é dedilhado e acompanhamento na gaita, mas quando se trata de acordes e acompanhado consigo bons resultados com muita facilidade.
A construção do segurador se dá em um metal pintado de preto e possui molas grossas que ajustam a largura da gaita no bocal e duas tarraxas pra regular a distância em que ela ficará de sua boca. Senti um certo desconforto após alguns minutos tocando, pois as tarraxas são bastante instáveis e acabam afrouxando, o que faz com que a gaita se distancie de sua boca com freqüência. Por outro lado as molas que prendem a gaita no bocal são firmes e não permitem que ela escape enquanto você toque. Pode ser que a parte inferior de metal que prende a gaita no bocal seja um pouco desconfortável e atrapalhe a execução de alguns bends, mas isso se dá apenas por questão de hábito. A parte traseira que fica encima da nuca é revestida por uma borracha preta, que de certa maneira evita com que o segurador escorregue em suas costas e ombros. Ainda não tive oportunidade de experimentar outros seguradores de outras marcas, mas fiquei satisfeito com os resultados que obtive com o S-250. Pra quem quer tocar folk e pop rock o segurador é uma pedida e tanto, mas pra quem quer tocar blues ou outro estilo usando a segunda posição sugiro que experimente os seguradores da Hohner que me parecem ser melhores, apesar no preço superior.
Uma pequena curiosidade: meu suporte nunca fui guardado depois que eu o comprei. Sempre o mantive em cima de um amplificador de baixo ou pendurado em um cabideiro que tenho em meu quarto, e pelo que parece uma estranha oxidação da cor branca tomou conta das molas e de uma parte próxima as tarraxas. Nada que prejudique o funcionamento, mas que estéticamente deixa o suporte bastante feio. Sendo assim sugiro que mantenham o suporte guardado e devidamente seco e livre de umidade para que não ocorra o mesmo com vocês. Espero que esse review auxilie gaististas interessados em adquirir um suporte segurador, em breve volto com mais postagens!

Aprendizado e Debate Online de Gaita em Redes Sociais*

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Aprender música não é fácil. Diversos fatores vão influenciar os caminhos e escolhas que você precisará tomar para esse aprendizado. Pode se tratar de tempo, determinação, acesso, qualidade e outras muitas coisas. Felizmente iniciei meus estudos teóricos de música com pouco mais de onze anos de idade no Conservatório Municipal Galdina Correa da Costa Rodrigues aqui mesmo da cidade em que vivo e por lá permaneci por quase cinco anos. Passei por diversos professores e a experiência de se conviver com muitos músicos é sempre um acréscimo em seus estudos. Depois que saí de lá já tinha uma certa desenvoltura para prosseguir de maneira autodidata e graças a isso hoje estudo de maneira independente guitarra elétrica e gaita diatônica. Não pensem que é impossível se aprender música sem o auxílio de professores, digo com firmeza que a maior parte do que sei aprendi fora do conservatório e grande parte em fóruns e em pesquisas pela internet. Visando redes sociais e essa necessidade resolvi listas algumas das coisas que mais me ajudaram no meu aprendizado de gaita através do uso da internet.

Fórum Gaitanet:
Para quem gosta de fóruns e debates o ideal seria acessar o fórum do Portal Gaitanet, idealizado pelo Sergio De Marchi e o Rodrigo Brasileiro. Por lá se encontram discussões sobre gaitas diatônicas, cromáticas, tablaturas e uma infinidade de temas que ai pedem e muito por mais informações:


Clube da Gaita no MSN Messenger e Facebook:
Se você gosta de MSN Messenger e o assunto é praticidade, em meados de 2008 foi fundado o Clube da Gaita pelo gaitista paranaense André Ribeiro. Tudo ou quase tudo que aprendi de irrelevante eu devo a esse grupo que contava com mais ou menos 80 membros quando entrei e agora já dispõe de mais de 650 membros ativos. O grupo é moderado pelo meu amigo Marcos Castelani e por lá figuram gaitistas principiantes e em muita das vezes renomados gaitistas profissionais, como Little Will, André Naves, etc.
Para participar é só adicionar o e-mail a seguir em sua lista de contatos do MSN Messenger:


O clube também possui um grupo de discussão no Facebook:

Gaita-L no Facebook:
Na rede social de Mark Zuckerberg contamos com o grupo Gaita-L criado pelo gaitista Benevides Chireia Júnior. E a discussão por lá anda rolando solta:

Aprenda Gaita Grátis no site da Bends e no Facebook:
Em 2009 a Bends lançou o incrível projeto entitulado Aprenda Gaita Grátis, onde o gaitista e fundador Melk Rocha ministra aulas gratuitas com um excelente material que inclui até arquivos de áudio. Infelizmente a Bends encerrou suas atividades mas as aulas antigas ainda podem ser acessadas no seguinte link:

Bloggers + Twitters:
E para finalizar indicarei dois excelentes blogs que freqüento constantemente e que inclusive serviram de inspiração para a criação de meu blog. São eles os blogs dos Belorizontinos Kenji, que há quase seis anos nos mantém atualizados com notícias e curiosidades sobre gaita e também o blog do Gaitista e ex-endorsee da extinta Bends, Leandro Ferrari que posta aulas e um conteúdo rico e diversificado sobre harmônicas, efeitos e música em geral:

Gaita BH

Leandro Ferrari

Esses links e diversas pesquisas no Google sempre me ajudaram em muitas dúvidas que tive, mas o ideal é que você tenha bastante força de vontade em aprender. Se souberem de qualquer sugestões sobre mais locais, por favor comentem!

* Atualizado em 19/04/2011

Hohner Blues Band

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Esse review é dedicado a uma gaita muito conhecida pelo seu baixo preço e também por estampar na sua tampa a marca da gigante alemã Hohner. Existe um pequeno detalhe acerca de seu local de fabricação, pois ao invés de ser alemã a gaita é de fabricação chinesa e como sabemos a coisa é meio feia por lá, por se tratar de mão de obra barata e de fabricação em série... Não desmerecendo tudo que vem de lá, pois sempre temos boas exceções! Muitos gaitistas (principalmente os iniciantes, ou até mesmo veteranos buscando uma gaita barata para complementar estudos) cometem o erro de comprar esse modelo na expectativa de economizarem dinheiro, mas acabam por desistir fácil ou até mesmo traumatizados ou equivocados a respeito de gaitas. Bem, eu não escolhi adquirir a minha, ganhei de natal! Uma tia minha adquiriu ela numa loja em Monte Carmelo (interior de Minas Gerais, próximo ao Triângulo Mineiro) pela bagatela de 18 reais e resolveu me presentear. E como se diz o ditado: "cavalo dado não se olha os dentes" eu aceitei a gaita de bom grado, inclusive a única coisa que gosto nela é da caixinha que me lembra bastante aquelas caixinhas de remédio e o valor sentimental que eu tenho pela mesma. Por se tratar de um modelo de baixo custo e de fabricação em série a Blues Band peca em oferecer uma placa de vozes muito fajuta e bastante mal vedada. A gaita possui um timbre apagado, com pouco volume e sem brilho, que particularmente não me agradaram. Ressaltando também que alguns orifícios (tanto aspirados como soprados) possuem som inacessível e a possibilidade de execução dos bends neles é quase nula. Isso porém não implica no conforto da harmônica, porque fora isso a gaita se acomoda bem em suas mãos, tem cantos arredondados e possui um bom acabamento (pelo menos externo) e ergonomia que não machucam suas mãos. O engraçado é que o visual da embalagem e da gaita geram uma expectativa maior do que o esperado pois ela é até bonitinha. Pra quem já tocou em alguma Piedmont Blues (aquelas que vem em um kit com 7, que geralmente só se aproveita o case) eu diria que as duas são quase a mesma coisa, com a diferença que as tampas das Piedmont são feitas de plástico e que isso derruba e muito na sonoridade da já castigada Piedmont. Enfim, se você deseja iniciar seus estudos em gaita e já comprou uma Blues Band você tem duas escolhas: ou gasta mais e compra outra gaita melhor ou se arrisca a tentar aprender com essa, o que pode não ser uma experiência muito agradável. Agora se já passou pela sua cabeça em comprar e você leu este post a tempo (ufa!) não hesite em investir mais trinta reais em uma gaita melhor, como por exemplo a Hering Free Blues ou mesmo as Bends Prima, que ainda podem ser encontradas no mercado, é o mínimo que você poderá gastar, mas será o máximo de retorno em um desempenho de melhor aprendizado. E por mais que a faixa de preço da gaita se mostre tentadora (de 15 a 25 reais!) não seria a melhor escolha a ser feita. Mais uma vez espero ter ajudado com este review e em breve postarei mais novidades.

Obs.: Gaitas chinesas de baixo custo como as Dolphin Pocket Blues, Shelter SX Blues, etc. apresentam a mesma construção da Blues Band, com uma única diferença notável apenas nos gráfismos das tampas. Dessa maneira esse post também serve para quem quer adquirir ou já possui as mesmas... Fiquem de olhos abertos!

O fim da Bends e o futuro da gaita no país

segunda-feira, 28 de março de 2011

É com grande pesar que a Bends Harmonicas notificou semana passada o encerramento de suas atividades previsto agora para o dia 31 de março. Em aproximadamente cinco anos na ativa a empresa confirmou que um pouco de publicidade bem investida e o contato direto com seus clientes é essencial para que um tão defasado mercado como o de gaitas funcionasse progressivamente, chegando a ponto de se equiparar com as já centenárias e tradicionais marcas de gaita ao redor do mundo, como a Hohner, Suzuki e a brasileira Hering que agora monopolizará novamente como a única fabricante nacional de harmônicas.
Ao contrário de sua concorrente Hering, a Bends sempre apostou em um marketing efetivo e frequentemente lançava workshops com a presença de seus vários endorsees que ostentavam com orgulho o nome da fábrica. Dentre eles poderiamos destacar Vasco Faé, Ivan Marcio, Leandro Ferrari, etc. Sem contar os diversos modelos de qualidade que a marca já apresentava em tão pouco tempo de mercado. Tive o prazer de começar o meu aprendizado de gaita com uma Bends Juke, que se mostrou extremamente durável e me rendeu até um post com um review sobre a mesma. Quem teve oportunidade de experimentar uma Bends com certeza não se frustrou e provavelmente sentirá muito com o fechamento da fábrica e para quem não conheceu o instrumento, felizmente ainda encontraremos muitas delas disponíveis no mercado.
Infelizmente não poderemos mais contar com a garantia vitalícia que a Bends fornecia aos seus produtos, perderemos o excelente material de aulas do Aprenda Gaita Grátis e tampouco conseguiremos mais espaço em um país onde a harmônica se mostra um instrumento pouco difundido e vítima de constante preconceito e marginalização. Uma grande perca para a gaita no país e também uma má notícia para nós gaitistas que sobramos apenas com a Hering que sempre se mostrou com uma postura distante e neutra em relação a inovações e no tratamento direto ao consumidor, matéria que anteriormente a Bends tirava de letra.

Hering Delta Blues

quarta-feira, 9 de março de 2011

No dia vinte e nove de janeiro o Gaita e Poesia completou dois anos de existência e para comemorar a data vou fazer uma pequena resenha sobre a minha mais nova aquisição: uma Hering Delta Blues em Dó. Dessa vez resolvi comprar no site The Riffs juntamente com uma placa de vozes em Lá para minha Hering Vintage Harp 1923 que havia desafinado e para meu desgosto me deparei com uns probleminhas de afinação da quinta palheta aspirada de ambas, geralmente isso sempre acontece em todas as minhas gaitas da Hering e mesmo sem saber o porque acabado sempre tendo que regular e afiná-las antes de usufruir das mesmas. Vamos a gaita! Novamente o instrumento vem em um case de EVA e dessa vez ele possui uma pequena diferença interior com um detalhe de plástico e assim como a caixinha usada anteriormente, também vem na cor preta. Ainda existe a mesma folga de sempre no case possibilitando o chicoteio da gaita, nada preocupante, mas que deveria ser aprimorado. No interior encontramos um pequeno manual com explicações básicas e obviamente a gaita.
Com um visual de tampas que se assemelham e muito com as gaitas da Lee Oskar a Delta Blues apresenta corpo de madeira bem envernizado e placa de vozes de 1,20mm proporcionando uma embocadura pesada e de difícil adaptação para gaitistas acostumados com gaitas menores e menos bolachudas, sendo assim, não recomendada para iniciantes, por exigir mais fôlego. A sua espessura e construção são quase idênticas a da Hering Vintage Harp 1923, dispondo de 5 parafusos prendendo a placa de vozes ao corpo de madeira, proporcioando uma excelente vedação, livre de vazamentos de ar. O enorme diferencial das duas harmônicas se dá em relação ao desenvolvimento sonoro: enquanto a 1923 apresenta uma sonoridade rasgada e agressiva a Delta Blues dispôe de um som nítido, encorpado de bom volume e bastante cristalino, soando melhor com acordes do que com notas limpas. Com resposta mediana minha frustração se deu ao perceber que o timbre do instrumento poderia ser superior ou que a gaita funciona melhor se tocando folk em um suporte do que propriamente delta blues. O preço da gaita está em torno de 75 reais e eu considero altamente indicada para blues e folk rock. Em breve novas resenhas de outras gaitas!
 
◄ Design by Pocket