Renúncia

segunda-feira, 15 de março de 2010

Esse velho blog que muita das vezes me serviu como desabafo ou mesmo como um degrau para meu amadurecimento tem sido deixado de lado. Bem, não só ele mas como diversas coisas em minha vida. Eu nunca tinha me visto tão irresponsável ou acomodado a ponto de renúnciar por tudo que fazia e por tudo que eu costumava ser. Claro, diversos fatores ajudaram nesse processo todo, mas a maneira de como eu me lidei com isso não foi boa, confesso que já não levo mais a vida que levo antes. Das diversas redes sociais que eu me desprendi ou me apeguei, das diversas bandas e estilos musicais que conheci e abandonei. Enfim, dos diversos costumes, amigos, manias e tudo mais que eu fazia e não faço mais. Não consigo mais olhar ao meu redor ou para eu mesmo e me reconhecer. Não sou de seguir ditados e sequer tenho uma religião. Costumo dizer para as pessoas que meu Deus é o Jim Morrison. Não pela vida e pelas atitudes que ele tomou quanto vivo, mas porque eu realmente admiro o cara. Mas realmente a única sina que vem dando certo pra mim seria de que "o que começa errado termina errado". Unânime, infalível. Se não for voluntariamente, meu sub consciente faz todo o resto involuntariamente. Não venho com esse post falar de minhas decepções amorosas, frustrações ou sequer mencionar gaita. Esse tema já fugiu de pauta há muito tempo. Esse post é uma renúncia. Uma renúncia ao tempo e todas essas mudanças.

4 comentários:

Matheus Tudor disse...

Interessante ver que pensa assim

Nádia disse...

O que está acontecendo com você conta pra mim, vai!

Thiago Amâncio disse...

não se vá!

Laerçon blues man disse...

Não desista das coisas boas que você faz ou fazia, quem perde é você e tudo o que te cerca meu caro!

 
◄ Design by Pocket